segunda-feira, 19 de agosto de 2013

PROJETO JÓQUEIS DO FUTURO TEM O PRAZER DE MAIS UMA VEZ HOMENAGEAR A PRIMEIRA DAMA DO TEATRO PERNAMBUCANO. GENINHA DA ROSA BORGES.

O casal María Emília e Edgard Franco de Sá, ela, tímida poetisa  e fervorosa sócia e torcedora-símbolo do SPORT CLUB do RECIFE e que em dias de jogos, "soltava o grito de cazá,cazá" das cadeiras da Iha do Retiro para vibração dos demais torcedores, teve dois filhos: Maria Eugênia e Roberto Franco de Sá.

O Dr. Roberto, advogado trabalhista e criminalista, era, de fato,  turfista de coração muito mais que qualquer outra coisa. Abnegado pelas corridas de cavalo, há dezesseis anos, é de forma justa, homenageado pela família e pelo Jockey Club de Pernambuco com a realização das provas do "Clássico Roberto Sá", competição nacionalmente reconhecida e que faz parte do calendário turfístico do Nordeste. Infelizmente o Dr. Roberto Franco de Sá, faleceu em agosto de 1998 com a idade de 71 anos.

Já a sua irmã mais velha, Maria Eugênia, inquieta e extrovertida filha do casal Franco de Sá, transformou-se em, nada mais, nada menos que  Geninha da Rosa Borges, pelo casamento com o irmão de Dinah de Oliveira, Baby (Otávio Nazareno) da Rosa Borges.  multi-atleta do Náutico- para tristeza de d. Maria Emília- não pelo genro, mas sim, por ser ele alvi-rubríssimo. Geninha representa sem sombra de dúvidas o Teatro Pernambucano, além de ser uma mulher bonita e inteligente. Foi também grande educadora, tendo sido a introdutora da Tele-Educação em Pernambuco (fez curso para tal em Tokyo, no início dos anos 60), formada em línguas anglo-germânicas e versada na língua de Baudelaire. Dedicada, busca a perfeição em tudo o que faz. Ela é uma das fundadoras do TAP - Teatro de Amadores de Pernambuco, junto com o cunhado e amigo Valdemar de Oliveira. Considerada a Dama do Teatro Pernambucano, generosamente faz questão de dedicar o título à sua cunhada Dinah.  Aos 91 anos de idade, mãe de 4 filhos, avó de 16 netos, e bisavó de 9 bisnetos, tem orgulho de acompanhar com lucidez e saúde a ampliação da família que hoje se encontra espalhada no Alaska, Canadá e Emirados Árabes. A bisneta canadense chama-se Emília como a matriarca poetisa que iniciou a família...

Dessa maneira, por questão de reconhecimento e pela iniciativa do radialista do Jockey Club de PE -  Francisco Mendonça - pelo segundo ano consecutivo a prova de pôneis que faz parte da programação dos Clássicos Roberto Sá (irmão único de Geninha), terá a Taça Geninha da Rosa Borges, que nos honrará com a sua presença para entregar o troféu ao vencedor da prova: Vida longa a Geninha - Maria Eugênia Franco de Sá da Rosa Borges!

Texto:
Paulo Pereira (Stud 13 do Recife), e
Ronice Franco de Sá (Filha do homenageado)


Na primeira homenagem do JCP a Geninha da Rosa Borges,
a homenageada entregou o troféu ao titular do
 Haras Pernambuco , Fábio Câmará que venceu a prova com
a pônei Maçã.