quarta-feira, 27 de março de 2013

LEANDRO HENRIQUE FALA DA PRIMEIRA VITÓRIA.


Leandro Henrique com o seu
pai Antonio Oliveira.
Alguns dias após a grande conquista, o aprendiz Leandro Henrique, 14 anos, comentou sobre sua primeira vitória no turfe pernambucano. Oriundo das corridas de pôneis nas quais obteve três expressivas vitórias, Leandro estreou como aprendiz no dia 17 de fevereiro e, no dia 24 de março (as corridas no Recife são quinzenais), conseguiu a primeira conquista oficial na carreira. Após a corrida, Leandro foi muito cumprimentado por amigos, profissionais, proprietários de Deuzeito e por seu pai, Antonio Oliveira, deficiente visual que acompanha as corridas através da narração oficial e com a ajuda de um primo, que também vai lhe passando as informações do desenrolar das corridas.

“Às vezes, penso que não aconteceu. Para mim, foi importante porque ganhei pra cima de um dos melhores aprendizes da Madalena, o Alan Maciel, que é chamado de Neymar do turfe pernambucano. No 2º páreo, achei que poderia ganhar com Ilmar, que ele virou a reta dominando o páreo, mas nos metros finais ele começou a esmorecer e acabei sendo ultrapassado por Caminho do Bem e por Don Talk. No 3º páreo, com Obreiro, não tive boa partida e precisei fazer uma corrida de recuperação, mas no final, mais uma vez no final, fui sentindo que não dava mais para ganhar”, comentou o garoto, que seguiu falando sobre como viu sua primeira vitória.

“Fui para o 4º páreo com muita vontade, mas sabia que Tókio Boy e Zucco eram as forças. Larguei bem e procurei correr entre os primeiros, como havia pedido o treinador. Nos 1.000 metros, procurei por minha montaria, mas ele não correspondeu. Decidi esperar mais um pouco e nos 600 metros finais dei nova carga. Nada, ainda. Achei que não chegaria mais. Nos 400 finais, acionei mais uma vez e ele, enfim, correspondeu. Fui procurando descontar o terreno e parti para cima do favorito. Deu no que deu. Comemorei um pouco antes de cruzar o disco, mas não vou mais fazer isso. Foi por conta da ansiedade. Adorei ouvir a torcida gritar meu nome e a quantidade de gente na foto, principalmente os proprietários de Deuzeito e o treinador R. Gomes, que me apoiou e me ensinou muito”, concluiu Leandro Henrique, em clima de vitória.

Parabéns Leandro!